...
 
Commits (8)
# Serviços
# Define a imagem base do container Docker.
# O C3SL já tem algumas imagens definidas em runners, recomendamos que
# utilize o runner mais apropriado possível (utilizando as 'tags' nas builds)
# ao invés de especificar uma imagem aqui.
# O runner pode ser configurado para permitir somente a utilização de
# algumas imagens, atualmente no C3SL somente essas são permitidas (o mesmo
# vale para o campo 'services' mais abaixo):
# ["node:*", "rails:*", "mongo:*", "redis:*", "postgres:*", "mysql:*"]
image: node:latest
# Serviços são imagens Docker que serão 'linkadas' aos containers que
# executarão as builds. Também é possível definir os serviços
# individualmente para cada job, especificando-os dentro do job.
services:
# Se quiser outra versão do postgres use postgres:9.6, por exemplo.
# Também estão disponíveis serviços para mysql, mongodb, redis e outros.
- postgres:latest
# Essas são variáveis de ambiente que serão passadas para a build. Como
# normalmente você irá utilizar um banco de dados de testes, não deve ser
# problema passar senhas por aqui. Mas se preferir também é possível definir
# variáveis secretas no Gitlab, em <project>/Settings/Variables
variables:
POSTGRES_DB: simmc
POSTGRES_USER: simmc
POSTGRES_PASSWORD: "123mudar"
job1:
script:
# Exibe as variáveis de ambiente configuradas
- env
# Mostra que o serviço está configurado no /etc/hosts como uma
# máquina de mesmo nome (postgres, no caso)
- cat /etc/hosts
# Verifica se o serviço está acessível
- ping -W1 -c1 postgres
Esse repositório contém exemplos de uso do sistema de integração contínua do
gitlab.
Cada exemplo encontra-se em um ramo diferente, nomeado como
`exemplo/X`, onde X é um inteiro crescente. Normalmente, quanto maior X, mais
funcionalidades são apresentadas.
Para ver o primeiro exemplo mude para o *branch* `exemplo/1` com o comando abaixo e
abra o arquivo `.gitlab-ci.yml`.
```
git checkout -t origin/exemplo/1
```
Todos os *builds* feitos aparecem no item *Builds*, aba *All*, do menu lateral esquerdo
no Gitlab.
Clique no valor sob a coluna *Status* para ver detalhes do *build*. Repare
no campo *Ref*, que indica o *branch* onde a *build* foi executada.